Blog Raízes

2019, o ano da inovação!

Notícias | 4 min de leitura

Publicado em: 28 de janeiro de 2019
Escrito por:
NANDO NANDO - Diretor Executivo

Pessoas contam para que a inovação aconteça. Elas estão muito mais atentas e prontas para a tecnologia do que muitas empresas. A árdua tarefa de se reinventar e se inovar, aperfeiçoando a gestão de negócios e trazendo maior rentabilidade em projetos – além de dinamizar os recursos existentes dentro de sua empresa – só acontecerá com pessoas.

Por aí só se fala em inovação. O que você tem feito para inovar? No que sua empresa inovou? Inovação, inovação, inovação.

Inovar é preciso. A necessidade de inovação é indiscutível. Amanhã as demandas não serão atendidas com o que você oferece hoje. O que você está pensando agora, alguém já pensou ontem. E inovar parece sempre ser o grande desafio de muitas [e grandes] empresas.

Como profissional de comunicação, tenho o privilégio de gerir uma empresa que diariamente busca a inovação, mas também estou dentro e ao lado de grandes empresas de diferentes segmentos. Nelas observo a necessidade e o desejo da reinvenção. Vejo muitos projetos [agora, agiles] que buscam ajustes nas culturas organizacionais, revisão de processos, apostas em tecnologia, pitchs [reuniões] para aprenderem sobre jornada do cliente, experiência do usuário e tantos outros conceitos nativos das startups – fenômeno que surgiu no Vale do Silício na década de 90 e que, de 2012 até os dias atuais, só tem ganhado força no Brasil.

Então, com uma visão menos míope – olhar comum de pequenas consultorias digitais, que observam na informatização de processos e transformação digital a única saída para esse questionamento acerca da inovação – reafirmo o que há tempos defendo como gestor de contas e empreendedor no Brasil: dê um passo para trás e olhe pessoas.

Pessoas contam para que a inovação aconteça. Elas estão muito mais atentas e prontas para a tecnologia do que muitas empresas. A árdua tarefa de se reinventar e se inovar, aperfeiçoando a gestão de negócios e trazendo maior rentabilidade em projetos – além de dinamizar os recursos existentes dentro de sua empresa – só acontecerá com pessoas.

As pessoas competentes que hoje estão no mercado buscam oportunidades de contribuir, não um cargo. São cautelosas por entenderem que não é simples a tarefa de inovar. Exige – em grandes e médias empresas – o pensar de uma startup, mas a prudência de um grande estrategista. Gente é o que conta.

Quando alguém te perguntar “o que você tem feito de realmente novo e inovador?”, responda com toda a certeza do mundo: procurando as pessoas certas e cuidando de cada uma delas.

Tags:

Compartilhe:

Mantenha-se informado com as nossas
notícias de comunicação e inovação.

Deixe seu contato para receber conteúdos novos.

Participe: