Blog Raízes

Marketing 4.0, Focus Group, Creative Thinking. Está tudo conectado.

Digital | 4 min de leitura

Publicado em: 28 de janeiro de 2019
Escrito por:
TELES TELES - Gerente de conteúdo

O futuro do Marketing está diretamente ligado a criar produtos, serviços e culturas empresariais que incorporem e reflitam sobre valores humanos. A mudança de poder é real. Os setores da economia sofreram e sofrerão, cada vez mais, uma mudança drástica por conta do digital. A tal da economia compartilhada. O tempo do exclusivo já era. Inclusão é a nova onda. Forças horizontais, inclusivas e sociais desafiam forças verticais, exclusivas e individuais. Em resumo, o mundo está avançando de uma estrutura de supremacia para uma multilateral.

É o que revela Philip Kotler, em parceria com Hermawan Kartajaya  e Iwan Setiawan, no livro “Marketing 4.0: do Tradicional ao Digital”.

As startups cresceram. Empresas como Airbnb, Uber, Netflix, Google, Facebook, Skype conhecem bem seu propósito. Possuem um negócio horizontal, inclusivo e social. Têm um DNA de inovação. Entenderam, antes das empresas tradicionais, como funciona a nova economia. Mostram que a globalização cria um cenário nivelado.  A disputa por uma fatia de mercado não depende mais do tamanho, país de origem ou patrimônio. É a seleção natural corporativa.

No mundo horizontal, conversas espontâneas sobre marcas possuem mais credibilidade do que uma campanha publicitária segmentada. Círculos sociais são as principais fontes de influência. As comunidades online e offline estão cada vez mais poderosas. Não se intimidam em compartilhar histórias e experiências, boas ou ruins, com as marcas. Desconfiam de campanhas publicitárias veiculadas pelas empresas.

A Álamo entende que o Marketing 4.0 vai mais a fundo e amplia o marketing centrado no ser humano para cobrir cada etapa da jornada do consumidor. A regra básica é colocar o cliente (pessoa) como centro das estratégias de negócios das marcas que a agência gerencia. Pensando nisso, a agência entendeu que a conectividade transcende a tecnologia e o segmento demográfico. Ela muda o fundamento do marketing: o próprio mercado.

Mas para se aprofundar no assunto, é preciso derrubar muros. Partir do Vertical para o Horizontal e inovar. Entender o propósito da empresa e oferecer soluções criativas. O Creative Thinking e o Focus Group são ferramentas auxiliadoras nesse processo.

O Creative Thinking tem mais a ver com o eu interior do que com os outros. É um laboratório de ideias colocado à disposição do cliente. O processo criativo acontece em cada um, de acordo com a maneira de entender o mundo e responder às ações. O objetivo é gerar soluções de Comunicação com diferenciação autêntica que torne a marca atraente. Quanto mais original, ousada, audaciosa e incomum for a diferenciação, maior será a atratividade da marca.

O Focus Group é muito usado no marketing e, cada vez mais, tem crescido nas redes sociais. O objetivo é observar a interação das pessoas em relação ao grupo e o objeto de pesquisa ou comportamento em relação à marca. O ser humano é o centro de tudo. O comportamento, as preferências, o estilo, o pensamento, a cultura, a influência, os sentimentos. Está tudo conectado.

A horizontalização se dá quando o consumidor fornece conhecimento e informação para empresas e para outros consumidores. É a prática de cocriação e aprendizado sobre consumo em tempo real.

Realmente, seja onde o cliente estiver, está tudo conectado.

Tags:

Compartilhe:

Mantenha-se informado com as nossas
notícias de comunicação e inovação.

Deixe seu contato para receber conteúdos novos.

Participe: